Notícias

Os mistérios da vida de Cristo

 

Iniciando o terceiro parágrafo que fala sobre os mistérios da vida de Cristo, estudaremos os mistérios da vida oculta de Nosso Senhor Jesus Cristo que, de forma geral, causam muita curiosidade, até mesmo pelo fato de os Evangelhos não falarem sobre esse período da vida de Jesus.

O fato é que existe o grande escândalo de Nazaré. O que vem a ser isto? Nada mais que o fato real de que Deus se fez homem, Jesus Cristo e permaneceu durante trinta anos ‘escondido’ numa carpintaria. Muitas pessoas não vêem sentido no fato de o mundo necessitar ser salvo e de o Salvador ter esperado tanto tempo. Esse parágrafo tentará iluminar, de alguma forma, esses anos da vida de Jesus.

O ano litúrgico é centrado em duas épocas distintas da vida de Jesus: os mistérios da Encarnação (Conceição e Nascimento) e Páscoa (Paixão, Crucifixão, Morte, Sepultamento, Descida aos Infernos, Ressurreição, Ascensão). São os dois grandes momentos da vida e da fé cristã. Porém, não é possível esquecer que entre um e outro existe o chamado Tempo Comum, tempo ordinário, que reflete justamente a vida oculta de Jesus que, muitas vezes, causa escândalo, conforme mencionado. Contudo, viver esse tempo ordinário, meditando a vida oculta de Jesus é muitíssimo importante, pois:

"Os Evangelhos foram escritos por homens que estiveram entre os primeiros a ter fé e que queriam compartilhá-la com outros. Depois de term conhecido na fé quem é Jesus, puderam ver e fazer ver os traços de seu mistério em toda a sua vida terrestre. Desde os paninhos de sua natividade até o vinagre de sua Paixão e o sudário de sua Ressurreição, tudo na vida de Jesus é sinal de seu Mistério. Por meio de seus gestos, de seus milagres, de suas palavras, foi revelado que nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. Sua humanidade aparece, assim, como "sacramento", isto é, o sinal e o instrumento de sua divindade e da salvação que ele traz: o que havia de visível em sua vida terrestre apontava para o mistério invisível de sua filiação divina e de sua missão redentora." (515)

Interessante notar que na humanidade de Cristo encontra-se toda a fundamentação da economia sacramental, pois, é o dinamismo encarnatório de Jesus que torna possível a realidade dos sacramentos - lembrando que sacramento quer dizer uma realidade visível de uma ação divina invisível.

A vida toda de Jesus Cristo constitui-se um mistério, como já foi dito. É possível perceber alguns traços comuns neles. O Catecismo aponta os três principais:

  • a. Toda a vida de Cristo é Revelação do Pai;
  • b. Toda a vida de Cristo é mistério de Redenção;
  • c. Toda a vida de Cristo é mistério de Recapitulação;

Jesus é a revelação de Deus. A Revelação de Deus é salvífica, assim, Jesus, ao se revelar ao homem o salva e, salvando o homem, revela-se.Tendo nosso Senhor se feito homem para cumprir a vontade do Pai, os mínimos traços de seus mistérios nos manifestam o amor de Deus por nós. (516) O Cristianismo não é uma ideologia. O Cristianismo é uma Pessoa, um acontecimento, por isso que ele consegue vencer todas as ideologias.

Toda a vida de Jesus é salvadora. A Cruz condensa toda a redenção, mas essa realidade salvífica está presente em toda a vida de Jesus:

"... já em sua Encarnação, pela qual, fazendo-se pobre, nos enriqueceu por sua pobreza, em sua vida oculta, que, por sua submissão, serve de reparação para a nossa insubmissão; em sua palavra, que purifica seus ouvintes, em suas curas e em seus exorcismos, pelos quais ‘levou nossas fraquezas e carregou nossas doenças’; em sua Ressurreição, pela qual nos justifica." (517)

Por fim, todos os atos, palavras, silêncios, sofrimentos, alegrias de Jesus tinham como fim fazer o homem voltar à sua vocação primeira. Santo Irineu de Lyon foi muito feliz ao dizer que:

"Quando ele se encarnou e se fez homem, recapitulou em si mesmo a longa história dos homens e, em resumo, nos proporcionou a salvação, de sorte que aquilo que havíamos perdido em Adão, isto é, sermos à imragem e à semelhança de Deus, o recuperamos em Cristo Jesus. É, aliás, por isso que Cristo passou por todas as idades da vida, restituindo com isto a todos os homens a comunhão com Deus." (518)

Portanto, toda a história da Humanidade está condensada na vida de Jesus Cristo. Da mesma forma, toda a história da Igreja está recapitulada na vida de Jesus Cristo. Mais ainda, a vida de cada homem, de cada mulher está condensada na vida de Jesus Cristo, pois, de uma maneira ou de outra, todos viverão aquilo que Jesus viveu e do modo como ele viveu.

É impossível meditar a vida de Cristo e não encontrar a chave de leitura de sua própria vida. É muito difícil não enxergar Maria, os discípulos, Pedro, os milagres, as angústias, a traição em sua própria vida. Tudo o que se vive sobre esta terra pode ser recapitulado na meditação da vida de Jesus. Daí a importância do Santo Rosário, pois, meditando os mistérios da vida de Jesus iluminaremos o caminho que devemos seguir rumo à vida eterna.


Fonte da Notícia: Padre Paulo Ricardo - CIC Publicado: 25/07/2016
Voltar

Podcast

Nenhum Podcast encontrado para hoje.

Rede sociais

Bíblia On-line

Seja guardião Doações
© Comunidade Mãe Rainha Estrela da Manhã
Todos os direitos reservados - 2011-2013